PROMOÇÃO EM ATÉ 6 VEZES NO CARTÃO

PROMOÇÃO EM ATÉ 6 VEZES NO CARTÃO
Para mais informações: 74 98129-2608

sábado, 30 de julho de 2016

Várzea do Poço Completa hoje 30 de Julho 54 anos de Emancipação Politica




Histórico:

A cidade de Várzea do Poço foi fundada nos terrenos de uma fazenda à 42 Km próxima a cidade de Miguel Calmon, que pertencia ao Senhor Joaquim Pemba , nesse mesmo terreno existia uma lagoa que deram o nome de “Várzea” (campina cultivada).Com o passar dos anos foram chegando pessoas de outras localidades, a procura de terras para desbravá-las. Mais tarde, depois do desbravamento na mesma localidade já denominada Várzea, surge o respectivo “Poço”(cavidade que tem água), daí ficou conhecida como Várzea do Poço.
A partir de então foram multiplicando as condições na fazenda, em setembro de 1920 Felipe Cassiano ( Pai de Juvenal Cerqueira Sampaio) e Afrânio edificaram as primeiras residências, em seguida Joaquim Pemba, sua família e outros, foram construindo mais casas, a primeira casa em Várzea do Poço esta localizada na Praça Edvaldo Valois. O tempo passa, foram cedidos terrenos por Felipe Cassiano e Joaquim Pemba para os que quisessem se estabelecer.
Terrenos como o da Praça Edvaldo Valois (praça principal da cidade), onde foi construída a primeira igreja , que até hoje é usada para celebrações e muitos outros foram cedidos por eles. Muitos contribuíram para o aglomerado humano, era o arraial que se formava, cheio de esperança no futuro. Como de costume a própria iniciativa antecipava-se ao poder público, sem nenhum planejamento, porém livre e espontânea. A disciplina a técnica, o alinhamento, o urbanismo que viessem depois... Mas o que era importante – a localidade crescia como um comércio ainda insipiente construído mais de casas de pau-a-pique, ranchos e pequenas vendas que revendiam aguardente e até mesmo atendiam viajantes. As notícias iam espalhando-se trazendo retirantes de outras localidades para o povoado que se formava.

Com o crescimento da população aconteceu a primeira feira livre em 1929. O saudoso Juvenal Cerqueira Sampaio (ex-prefeito) saiu avisando nas fazendas e casas da região que iria acontecer a primeira feira na sexta-feira (dia mantido até hoje),  debaixo de um pé de Calumbí na praça principal ( em frente à agencia de Correios – hoje). Por essa razão ficou conhecida como “a feira do pau” mas a feira do pau não durou muito tempo, o senhor Ariosto Soares junto a outros cidadãos tiveram a criatividade de construir um estabelecimento chamado “Barracão”, era um telhado de madeira arredondado que além da feira servia de abrigo para os tropeiros e outras pessoas que vinham com cargas, neste mesmo período foi construída também a primeira bodega pelo senhor Manoel Guilhermino – conhecido como Lulú. Com o aparecimento da feira livre era preciso alguns meios de transportes para a compra e venda de mercadorias, elas passaram a ser transportadas por meios de tração animal como carro de boi, carroças de burro etc., mais não foi suficiente.
Os Senhores Dabê, Antônio Raimundo e Louzinho Lima, resolveram associar-se para comprar um meio de transporte mais rápido e seguro, surge assim em 1929 o primeiro caminhão Ford a gasolina em Várzea do Poço. Com o passar do tempo, foram surgindo as monarêtas a motor e outros meios de transporte.
Primeiro Caminhão



Tanque da Nação

Desde o início de toda essa história já existia o tanque da nação, onde as pessoas bebiam sua água e lavavam roupas. O nome “nação” surgiu porque servia ao povo. No arraial o atendimento médico era muito difícil, de vez em quando o Doutor Paiva do Riachão do Jacuípe vinha prestar atendimento à comunidade, seus serviços  eram substituídos pelo farmacêutico Ariosto e pela parteira Valeriana que ajudava as mulheres na hora do parto.




Pensando em atender as necessidades educacionais da população, foi construída a primeira escola que oferecia apenas o ensino primário. As primeiras professoras dessa mesma escola foram Ênia e Clencina.
PROFESSORA CLENCINA




Logo em seguida surgiram também os meios de comunicações. No período de 1942, a “Sociedade Cultural de Campo Alegre” com a cooperação de todos, organizaram um serviço de alto-falante tendo como primeiro locutor, Valdomiro Ramos. O alto-falante modificou a vida de muitos moradores da época; o estúdio servia como salão de festa.


Carnaval - Bloco Bafo de Baco


Em 1948 foi realizado o primeiro carnaval no depósito do farmacêutico Ariosto Soares, onde todos compareceram fantasiados. O que mexeu mesmo como os moradores foi o aparecimento do primeiro rádio, em 1949 comprado por três moradores do arraial. Esse era instalado num cubículo, situado na praça Edvaldo Valois, mas como a curiosidade de todos era imensa, o quartinho não comportava muita gente, foi preciso marcar um horário para os que quisessem ouvi-lo e admira-lo. Depois de muitos dias de uso, sua bateria esgotava, era preciso 4 h ou mais para carregá-la. O carregamento era feito com uma das chamadas casas de farinha, o movimento da roda era imprimido por meio de manivela e com ajuda braçal daqueles que se divertiam aproveitando a ocasião. Neste mesmo ano, foi realizada uma grande festa no barracão com desfiles de rainhas, princesas e outros espetáculos para a inauguração da luz a motor, tendo como responsável o senhor João Motorista que ligava e desligava o motor e organizava também as brincadeiras infantis e o futebol.
Comemoração da Chegada da Energia Elétrica 1948.

Com todos esses festejos, Várzea do Poço foi crescendo, resolveram então mudar o seu nome para “Nova Floresta”, esse durou pouco tempo, encontraram outro nome o de “Campo Alegre”, esse durou aproximadamente 4 a 5 anos.
Tudo isso foi suficiente para que as autoridades da época pela Lei Estadual nº 628 de 20/12/1953 elevasse o arraial a povoado de Campo Alegre e elevado à categoria de cidade em 1962, desmembrando do município de Miguel Calmon com a denominação de Várzea do Poço, com uma população estimada de 1.000 habitantes. Na mesma época, Várzea do Poço começou a expandir-se no setor comercial, foi servida pela Farmácia São Roque que prestou importantes serviços a comunidade, foi surgindo também às padarias e outros estabelecimentos comercias. A agricultura baseava-se na mamona, mandioca, milho, feijão, sisal e ouricuri e esses produtos eram exportados. A criação de bovinos era fonte de renda na pecuária.
Com o crescimento do povoada, chegaram à conclusão da necessidade de ter um administrador, para que fosse o legítimo representante do povo e concluir suas reivindicações. Surge o primeiro candidato único ao cargo de prefeito, Antônio Lopes Filho. Em 1962 é empossado o primeiro prefeito eleito pela Arena (Aliança Renovadora Nacional).
Mandatos: Foram prefeitos de Várzea do Poço

ATUAL PREFEITO

Antonio Lopes Filho, 1963 a 1967;
Juvenal Cerqueira Sampaio-1º Mandato,1967 a 1971;
José Andrade de Almeida 1971 a 1973;
Edinaldo Lima de Cerqueira, 1973 a 1977;
Juvenal Cerqueira Sampaio-2º Mandato, 1977 a 1983;
Antonio Carneiro Oliveira- 1º. Mandato 1983 a 1988;
Terêncio de Carvalho Lopes- 1º Mandato 1989 a 1992;
Antonio Carneiro Oliveira-2º Mandato, 1993 a 1996;
Terêncio de Carvalho Lopes-2º Mandato, 1997 a 2000;
Cezar Augusto Nunes de Oliveira-1º Mandato 2001 a 2004
e reeleito para o Mandato 2005 a 2008;
 Paulo José Ferreira 2009 a 2012
e reeleito para o Mandato de 2013 a 1016.

Por: Ciomária Alves
        Coordenadora de Cultura 
Fonte: Varzea Cultura

0 comentários:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO ANONIMO NÃO SERÁ LIBERADO, AGRADECEMOS A COLABORAÇÃO.