quarta-feira, 11 de abril de 2018

Sucessão na Bahia já tem seis concorrentes; veja perfis


A aproximadamente seis meses das eleições para governador, seis candidatos já se colocaram na disputa na Bahia. Os partidos têm até o início de agosto para realizar convenções, quando terminará o prazo de oficialização das candidaturas. Segundo o calendário, os partidos devem realizar as convenções entre os dias 20 de julho e 5 de agosto.

O último dia para registro é 15 de agosto. Até ontem, entre os concorrentes estão o atual governador da Bahia, Rui Costa (PT), que busca reeleição; o ex-prefeito de Salvador João Henrique Carneiro (PRTB); o deputado federal João Gualberto (PSDB); o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo; João Santana (MDB) e Marcos Mendes (PSOL). Conheça abaixo mais sobre cada um.

Nomes até agora na disputa:

Rui Costa (PT), governador 
O governador é filiado ao PT desde os anos 1980. O primeiro cargo público dele foi ocupado 20 anos depois da filiação, em 2000, quando foi eleito vereador da capital e reeleito por mais quatro anos. Em 2016, foi candidato a deputado federal, porém não obteve sucesso no pleito. No ano seguinte, na gestão do ex-governador Jaques Wagner (PT) assumiu a Secretaria de Relações Institucionais. Em 2010, foi eleito deputado federal. 

Dois anos depois, em 2012, assumiu nova secretaria no segundo mandato de Wagner, desta vez a Casa Civil. Em 2014, Rui se elegeu governador da Bahia em primeiro turno.  Em uma rede social, o governador afirmou que no momento, eleição não seria o foco principal. "Minha prioridade é manter o ritmo ‘correria’ e continuar cumprindo compromissos. Avançamos muito, mas ainda há muito a ser feito", afirmou.

João Gualberto (PSDB), deputado
Deputado federal e atual presidente do PSDB na Bahia, exerceu o primeiro mandato eletivo como prefeito de Mata de São João, no litoral norte, sendo reeleito. Em 2014, foi eleito deputado federal, tornando-se um dos líderes dos chamados ‘cabeças pretas’ – em oposição aos ‘cabeças brancas’ do partido, um grupo que  pressionava para que os tucanos entregassem os cargos que tinham no criticado governo de Michel Temer. 

“Como também temos pré-candidato à Presidência da República [Geraldo Alckmin, governador de São Paulo], o PSDB teve disposição de lançar meu nome ao governo da Bahia", afirmou Gualberto.

José Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira
Foi vereador de Feira de Santana por um mandato, prefeito por dois mandatos consecutivos, durante os anos de 2001 e 2008. Zé Ronaldo foi eleito novamente em 2012, reeleito em 2016 e exerceu o mandato até o último sábado, quando renunciou ao cargo para se candidatar ao governo da Bahia. Ele também ocupou os cargos de deputado estadual e federal.  


“A partir de hoje começamos a desenvolver um trabalho intenso de visitar todo o Estado, construindo e apresentando propostas junto com os demais parceiros”, disse, no último sábado, durante anúncio da renúncia.

João Henrique (PRTB), ex-prefeito
Ex-prefeito de Salvador por dois mandatos, João Henrique também esteve na Câmara Municipal da capital baiana por cerca de seis anos, quando interrompeu o segundo mandato, foi eleito deputado estadual e reeleito nos dois pleitos seguintes. 


Na Câmara, ele foi autor do projeto de lei dos Conselhos Tutelares de Salvador e também recebeu o título de ‘Melhor Vereador do Ano’ durante quatro anos consecutivos. Como deputado estadual, foi premiado como ‘Destaque Parlamentar’, em 1998. Em 2004, foi eleito prefeito de Salvador no primeiro turno; na eleição seguinte, mesmo com popularidade baixa, foi reeleito. Em 2016, João Henrique se candidatou a vereador da cidade, porém sem sucesso.

Marcos Mendes (Psol)
Candidatou-se a deputado federal em 2006. Nas eleições de 2008 e 2012 foi candidato a vereador de Salvador, e, também em 2010 e 2014, disputou o cargo de governador da Bahia. Ele é formado em geologia pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), especialista em meio ambiente, pós-graduado em gestão pública municipal e Governamental, mestre em geologia ambiental. 


A vida pública de Mendes começou quando ele era estudante e militante do movimento de classe. “Pretendo apresentar uma verdadeira via alternativa para os baianos”, declarou o político durante o 6º Congresso Estadual do SOL-BA, que definiu o nome dele como pré-candidato do partido.

João Santana (MDB)
João Santana é ex-ministro da Integração e atual presidente estadual do MBD na Bahia. Ele também já foi chefe de manutenção geral do Complexo Hidroelétrico da Central do Funil; superintendente do INSS na Bahia; presidente da Companhia de Habitação do Estado da Bahia (Urbis) e da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). Santana também presidiu a seção baiana da Fundação Ulysses Guimarães, do MDB. 


Em Salvador, foi secretário municipal de Serviços Públicos. João Santana é formado em engenharia elétrica pela Escola de Eletromecânica da Bahia. “O MDB é um partido cuja tradição é participar dos processos eleitorais do País, com importância política na história do Brasil, quando encabeçou a luta contra a ditadura. Temos presença marcante   no estado da Bahia e somos a maior estrutura política do Brasil”, disse. 

Por Aina Soledad  / Fonte: A Tarde

0 comentários:

Postar um comentário

O COMENTÁRIO ANONIMO NÃO SERÁ LIBERADO, AGRADECEMOS A COLABORAÇÃO.